QUEM COMETEU SUICÍDIO ESTÁ CONDENADO?
30/12/2019 09:25 em Novidades

QUEM COMETEU SUICÍDIO ESTÁ CONDENADO?


Antes de mais nada, ATENÇÃO! Quem quer aprender, não pode ter preguiça de ler! Sei que os textos têm sido longos, porém, os temas sobre a morte são muito complexos. Por essa razão, HAJA CAPACIDADE DE SÍNTESE que estou buscando ter diante da vastidão de conteúdo e da complexidade de temas que, inclusive, pouquíssimas lideranças religiosas tem a coragem necessária para falar ou esclarecer!!! Aos que não tiverem PREGUIÇA DE LER, vamos então para mais um tema!

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

 

UMA NECESSÁRIA INTRODUÇÃO:
Meus prezados amigos e estimadas amigas, escrevo agora sobre um dos temas MAIS DELICADOS E DE MAIOR TABU no tocante à morte e a salvação eterna. Trata-se do suicídio! É muito importante saber que o suicídio está entre as 10 causas de mortes mais frequentes no mundo. Para se ter uma ideia dessa problemática, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), A CADA ANO, cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio em todo o mundo. Somente no Brasil, segundo estudos do Ministério da Saúde, A CADA ANO, cerca de 11 mil pessoas cometem suicídio. De acordo com dados recentes da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), as cidades brasileiras com maior taxa de suicídio são: 1º. Belo Horizonte; 2º. Porto Alegre; 3º. São Paulo; 4º. Rio de Janeiro; 5º. Recife e 6º. Salvador.
Alguns estudos associam o suicídio a distúrbios mentais, transtornos de personalidade, perdas, uso de drogas, problemas financeiros, isolamento e depressão. Aliás, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão está relacionada a 30% dos casos de morte por suicídio. Lamentavelmente, ainda de acordo com a (OMS), EM TODO O MUNDO, os casos de suicídio AUMENTARAM cerca de 60% nos últimos 50 anos. Enfim, os dados são TRISTES e profundamente LASTIMÁVEIS!!!

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

 

O QUE NÃO PODEMOS PERDER DE VISTA...


Antes de tudo, precisamos ter BEM CLARO, que o nosso Deus é o DEUS DA VIDA! Ele é chamado de CRIADOR porque criou todas as coisas e DEU VIDA à inúmeros seres, em especial, ao ser humano. Ao criar e dar vida ao ser humano, “Deus viu que era muito bom” (Gêneses 1,31). Ou seja, de modo muito especial, o ser humano, o Homem criado por Deus possui um valor incalculável, uma dignidade e nobreza ímpar; e tudo isso porque ele foi criado e É AMADO por Deus! Assim sendo, fica muito evidente que todo atentado contra a vida humana é um mal terrível, por conseguinte, um pecado grave.


O Catecismo da Igreja Católica nos ensina (no. 2280) que “Cada um é responsável por sua vida diante de Deus, que lha deu e que dela é sempre o ÚNICO e SOBERANO SENHOR”. Desta forma, cada um deve guardar, preservar ao máximo a sua própria vida. Isso faz todo sentido, tendo em vista, que já no primeiro livro das Sagradas Escrituras (Gêneses – o livro das origens e da criação) o Senhor confia ao Homem o cuidado sobre todas as coisas criadas, entre elas; - o cuidado para com a vida do próprio Homem está incluído! Por tudo isso, É ÓBVIO que fica muito evidente que o suicídio não é algo querido por Deus, justamente porque Ele é o SENHOR DA VIDA e nos CRIOU PARA A VIDA!

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

 

MAS, QUEM COMETEU SUICÍDIO, ESTÁ CONDENADO OU NÃO?


Por tudo que lemos até aqui, penso que não há qualquer sombra de dúvida de que o suicídio é uma realidade grave, profundamente lamentável, MAS, - ATENÇÃO -, MAS, ao mesmo tempo, CONDENAR a quem acabou cometendo algo tão terrível seria algo completamente CONTESTÁVEL, sobretudo em nossos tempos atuais. É claro que sempre deve ser frisado que o SUICÍDIO É UM MAL TERRÍVEL, porém, afirmar uma CONDENAÇÃO ETERNA de quem cometeu tal ato não é uma consequência necessária desse pressuposto. O inferno, a condenação eterna existe, mas CABE A DEUS, - SOMENTE A DEUS -, realizar o juízo particular de cada pessoa que teve – ao longo dos dias de sua vida terrena – o “tempo aberto à ACEITAÇÃO ou à REJEIÇÃO da graça divina, manifestada em Jesus Cristo” (Catecismo da Igreja Católica, no. 1021). Portanto, aqui já fica evidente que NINGUÉM tem o direito e a total ciência para dizer que uma pessoa que cometeu suicídio foi condenada por Deus – penso que isso está bem claro!

 

VAMOS ENTENDER UMA COISA IMPORTANTE – sendo que o suicídio é um ato grave realizado pela própria pessoa, era extremamente difícil explicar (a muitos séculos atrás) como, embora realizando este último ato trágico na vida, a pessoa ainda poderia ser salva. Neste sentido, é compreensível o fato de que, ATÉ O SÉCULO XX (20), não se celebravam as exéquias (cerimônia de encomendação da alma de um falecido) para o cristão que havia cometido suicídio. Mas, a PARTIR DO SÉCULO XX (20) ISSO MUDA, e muda por que?

 

A partir do século XX (20), COM AS DESCOBERTAS DA CIÊNCIA PISCOLÓGICA, as mesmas ajudaram a perceber que, no mundo interior de cada pessoa, interagem muito mais elementos do que se poderia imaginar até então. Ou seja, PARA A MORAL CRISTÃ, as descobertas trazidas à luz por parte da CIÊNCIA PISCOLÓGICA levaram à percepção de que o suicídio pode sim ser um ato NÃO TÃO VOLUNTÁRIO quanto parecia e imaginava ser. E isso meus amigos é de FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA, tendo em vista, que para que um ato o qual cometemos seja tido como PECADO, tal ato deve ser praticado de uma forma LIVRE e CONSCIENTE. E, a partir do século XX (20), vem os estudos da ciência psicológica e no diz que, nem todo ato que o ser humano comete é feito de forma livre e consciente; ou seja, existem mecanismos no interior de cada pessoa que, muitas vezes, às leva cometer certas atitudes de maneira INVOLUTÁRIA, indo contra seus princípios, crenças e vontade própria.

 

À luz dessa nova perspectiva, o Catecismo da Igreja Católica - nos parágrafos 2282 e 2283 – explicita claramente que: “PERTURBAÇÕES PSÍQUICAS GRAVES, A ANGÚSTIA OU O TEMOR GRAVE DUMA PROVAÇÃO, DUM SOFRIMENTO, DA TORTURA, SÃO CIRCUNSTÂNCIAS QUE PODEM DIMINUIR A RESPONSABILIDADE DO SUICIDA” (CIC – 2282). Em razão disso, o próprio Catecismo encoraja as pessoas próximas de quem cometeu tal ato a: “NÃO SE DEVE DESESPERAR DA SALVAÇÃO ETERNA DAS PESSOAS QUE SE SUICIDARAM. DEUS PODE, POR CAMINHOS QUE SÓ ELE CONHECE, OFERECER-LHES A OCASIÃO DE UM ARREPENDIMENTO SALUTAR” (CIC – 2283).

 

Portanto, por tudo que aqui foi apresentado, penso que fica muito claro que: NINGUÉM - ABSOLUTAMENTE NINGUÉM - TEM O DIREITO DE DIZER QUE UMA PESSOA QUE, INFELIZMENTE, COMETEU SUICÍDO, NÃO ALCANÇOU, POR CAUSA DISSO, A SALVAÇÃO ETERNA DA PARTE DE DEUS! Por mais absurdo que seja, eu sei que ainda, em pleno século XXI, mesmo com todo o aporte que a ciência psicológica nos dá, ainda assim existem os que acreditam que quem comete suicídio está fadado à condenação eterna. Porém, independente de todo o suporte que a ciência psicológica oferece, em primeiro lugar EU ACREDITO NO DEUS DA MISERICÓRDIA, no Deus que está sempre disposto a perdoar (Efésios 2,4); em segundo lugar, todo o suporte de conhecimento que a ciência da psicologia tem nos oferecido desde o século XX só faz aumentar, AINDA MAIS, que SIM, mesmo diante do cometimento de tamanha atitude trágica, a pessoa que cometeu suicídio, não o fez por meio de um ato voluntário e, em razão disso, ENCONTROU SIM a misericórdia da parte de Deus e alcançou a sua SALVAÇÃO ETERNA! Vale dizer que – NÃO FORAM OS PREGOS QUE PRENDERAM JESUS NUMA CRUZ. FOI O AMOR DELE POR NÓS! E esse amor, não conhece lógica. Esse amor, é simplesmente um amor INCONDICIONAL!!!

#EU.CREIO.SENHOR.NA.TUA.MISERICÓRDIA
Luís Antônio Favoretto

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!